25 agosto 2014

No Azul do Vinho

Olá meninas!!!
Mais uma vez quero me desculpar, por deixar tanto tempo sem postar, mas meu trabalho,
estava tomando muito do meu tempo, e agora um pouco mais tranquila, espero dar continuidade.
Abraços e beijos a todas!!!

Estou colocando esta descrição antes das postagens, pois algumas amigas estão me perguntando, de que livro estou tirando as postagens rs, e sou mesma que escrevo, se tivesse tirando ou me inspirando em algum livro, colocaria aqui com certeza, como sempre faço em minhas postagens. 
Como vocês sabem amo escrever, e há algum tempo estou com muita vontade de escrever um romance, e eis que comecei, e gostaria de saber a opinião de vocês nos comentários, ok?
Vou postar dois capítulos por dia, dentro do possível rsrs.
Não sou escritora, nem sei se este escrito pode ser chamado de livro, de um romance, mas para mim é uma obra rsrs, e me faz muito bem expressar estas estórias e quero compartilhar com vocês.

Continuando...
                                            No azul do Vinho

                                               Capítulo 51

Todos na casa de Phina, foram despertados pelo toque do telefone, Bruno correu para atender.
Era o dr. Eduardo, pedindo que fossem até ao Hospital, não disse nada sobre Phina, disse que conversariam no Hospital.
Neste momento, já estavam todos ao lado de Bruno, ansiosos, - Ele não disse nada, apenas para
que fossemos até ao Hospital, falou Bruno.
No Hospital, dr. Marcio e dr. Eduardo, já os aguardavam.
- O que está acontecendo, como está Phina, falou Bruno desesperado.
- Calma, ela está bem, acordou e está esperando por vocês, entrem.
Bruno correu e a abraçou e desabou em lágrimas, e Phina estava ótima, ficou feliz por estarem todos ali e mais ainda pela preocupação de Bruno.
Phina voltou pra casa, os pais de Bruno voltaram para o Sul. Bruno ligou para Alícia avisar o sr. Giuseppe e sr. Genaro, que Phina já estava em casa e muito bem de saúde.
E eles conversaram e resolveram, fazer uma festa de casamento no Brasil e outra na Itália, mais precisamente na fazenda. Chamaram a cerimonialista, e lhe contaram o que tinham decidido, ela achou meio em cima da hora, mas concordou, afinal estes dois mereciam.
Os dias voaram, e o casamento no Brasil estava prestes a acontecer. Phina fez quetão de flores brancas e azuis, e todas as toalhas das mesas, foram feitas conforme ela queria, com manchas azuis, ela fez questão que fossem derramado vinho nas toalhas brancas, como uma marca dela e de Bruno, do primeiro encontro ao casamento.
A cerimonialista achou esquisito e meio sem classe, manchar toalhas brancas de linho, ela não entendeu muito bem, mas Phina queria assim, e teve que aceitar.
Mas pediu que fizessem um texto em cima de cada mesa, explicando qual o motivo das toalhas serem manchadas com vinho, riu muito quando pediu para a cerimonialista, pois ela demonstrava que não acreditava nas atitudes de Phina, parecendo pensar: - Será que esta cirurgia deu certo mesmo? e Phina se divertia com isso.
O grande dia chegou, Phina estava linda, em um vestido branco de renda francesa, com caimento leve sobre o corpo, era simples e elegante, estava deslumbrante.
O casamento foi no salão do Hotel Gran Mars, a decoração estava clean, como Phina queria.
Duas semanas depois eles já estavam chegando na fazenda do sr. Giuseppe, que os aguardava muito feliz, por fazer parte deste acontecimento. Ele considerava muito Bruno e Phina, os tratava como sendo de sua família. Quando Bruno e Phina desceram do carro, sr. Giuseppe e toda família, foram ao encontro dos dois, os abraçaram muito. Os familiares de Bruno e Phina que vieram junto, nem acreditavam que seriam tão bem recebidos por todos na Toscana, ficaram deslumbrados e entenderam o porquê destes dois quererem se casar ali também.
A fazenda foi enfeitada ao ar livre, tudo estava maravilhoso.
Parecia um conto de fadas, e porque não dizer: VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE!!!

                                                   FIM



07 março 2014

Fui Notificada, e não entendi por quê?

Olá Meninas!!
Hoje levei um susto, quando abri meu e mail e tinha uma notificação do GOOGLE, dizendo que minhas postagens de bordado em tecido xadrez foram excluídas, pois eu não tinha autorização.
Peguei sim de uma revista e coloquei o nome da mesma, mas pelo que entendi o bordado era de uma pessoa dos EUA, e ela me acusou e não a revista, não entendi.
Vejo em tantos blogs, postagens de revistas e raramente as pessoas colocam de onde tiram, eu sei porque tenho algumas das revistas.
Sinceramente, fiquei sem saber o que fazer.
Será que é porque ultimamente, o fluxo de visitas em meu blog, tem aumentado consideravelmente, não sei?
Mas vou retirar todas as postagens que for de revistas.

Obrigado meninas!!

Abraços e até mais...

05 março 2014

No Azul do Vinho

Olá Meninas!!

Estou colocando esta descrição antes das postagens, pois algumas amigas estão me perguntando, de que livro estou tirando as postagens rs, e sou mesma que escrevo, se tivesse tirando ou me inspirando em algum livro, colocaria aqui com certeza, como sempre faço em minhas postagens. 
Como vocês sabem amo escrever, e há algum tempo estou com muita vontade de escrever um romance, e eis que comecei, e gostaria de saber a opinião de vocês nos comentários, ok?
Vou postar dois capítulos por dia, dentro do possível rsrs.
Não sou escritora, nem sei se este escrito pode ser chamado de livro, de um romance, mas para mim é uma obra rsrs, e me faz muito bem expressar estas estórias e quero compartilhar com vocês.

Continuando...
                                            No azul do Vinho

                                               Capítulo 49

A sogra de Phina voltou para o Sul, preocupada com o desentendimento de Phina e sua mãe, não ficava totalmente feliz com esta situação. Phina ligou para Bruno e ele disse que no final de semana estaria com ela em São Paulo, e aproveitariam para marcar o casamento e falar com a cerimonialista. Na terça a tarde era o exame de Phina, ela estava um pouco nervosa, pois não comentou com ninguém mas estava sentido um pouco de dor na cabeça.
Bruno chegou e Phina foi apresentá-lo a todos no escritório, e chamou sua mãe, sua irmã e o marido para almoçarem juntos e conhecer Bruno. O encontro deles correu tudo bem, o final de semana voou, eles correram atrás dos papéis do casamento e se encontraram com a cerimonialista, e na terça Bruno acompanhou Phina nos exames.
Phina apresentou Bruno ao dr. Márcio, ela o considerava como um pai, pois ele e seu pai eram muito amigos. Ela fez todo procedimento para o exame, o dr. Márcio fez o exame, mas não falou sobre o resultado para Bruno e Phina, pediu para que eles aguardassem.
Ela e Bruno ficaram tensos, pois dr. Márcio estava estranho. Vieram até eles dr. Márcio, seu filho dr. Eduardo e outro médico especialista, dr. Márcio os apresentou e começou a falar:- Phina, você se lembra que toda vez que caía no sítio, seu pai a trazia correndo para ser examinada, e você sempre muito forte dizia que não era nada, infelizmente não tenho boas notícias, para ter certeza do que estou lhe falando, pedi ao meu filho Eduardo e ao dr. Jonas, que analisassem o exame, e eles concordaram com o meu diagnóstico. Phina o interrompeu nervosa: - Mas o que está acontecendo, nunca ouvi o senhor falar assim.
- Calma Phina, disse dr. Márcio, há uma mancha em sua cabeça, provavelmente onde foi a pancada, e se não fizermos uma micro cirurgia, você pode ter falhas de memória, se é que já não está tendo algum sintoma e não nos contou, te conheço bem, você é forte, mas agora é necessário que nos conte tudo, ok?
- Mas doutor, o médico da Itália disse que estava tudo bem?, disse Bruno bem nervoso, esta cirurgia é complicada, ela corre risco de vida?
- Bem Bruno, o médico pediu que ela viesse rapidamente fazer os exames, ele talvez não quis preocupá-los, mas só o fato de pedir a urgência nos exames, ele tinha visto algo sim, e quanto ao risco, sempre há, não vou dizer que não, mas como seu pai diria a vocês, faço das palavras dele as minhas, confie em Deus, Ele tudo pode, falou dr. Marcio com dificuldade pela emoção do momento.
- Vamos adiar nosso casamento, por uns dois meses mais ou menos, ok meu amor, dr. Márcio vai marcar a cirurgia logo?, disse Bruno para tentar acalmar Phina, que estava em lágrimas.
- Sim vamos fazer os exames necessários, já que ela está aqui vamos marcar para daqui a dois dias, certo? 

                                             Capítulo 50

Aqueles dois dias foram terríveis para Bruno e Phina, tiveram que chamar a cerimonialista para dizer que teriam que adiar o casamento, e ela disse que não tinha problema, ela dava um jeito em tudo. Os pais de Bruno vieram para o dia da cirurgia, estavam todos nervosos, Bruno tentava não demonstrar, pois não queria deixar Phina ainda mais nervosa, mas assim que seus pais chegaram na casa de Phina, ele desabou aproveitou que Phina estava no banho e chorou abraçado com os pais.
Chegou o dia foram todos ao hospital, aguardar o decorrer da cirurgia. Dr. Márcio veio até eles e disse que correu tudo bem na cirurgia, mas somente quando Phina acordasse, saberiam se estava tudo bem. - Posso ficar junto dela?, perguntou Bruno.
- Sim, sim mas em silencio absoluto, disse dr. Márcio.
Bruno ficou sentado na poltrona ao lado de Phina, segurando sua mão, os outros a olhavam apenas pela janela do corredor, não podiam entrar.
Quase dez horas após a cirurgia, dr. Eduardo veio até o quarto e disse que ela já devia ter acordado, mas Phina parecia dormir. Ele chamou dr. Márcio, e os dois disseram que a levariam para um novo exame, para saber o que estava acontecendo.
Bruno não conseguia nem falar, de tão nervoso que estava, e todos os que estavam com ele também ficaram, pois não sabiam o que estava acontecendo.
O doutores voltaram com Phina, e dr. Eduardo disse: - Está tudo bem, a cirurgia foi perfeita, apenas temos que esperar, para ela acorde sozinha, não podemos forçar nada, Bruno sei que quer estar quando ela acordar, mas vai pra casa, coma alguma coisa e tente dormir um pouco, por favor, quando ela acordar, vai precisar de você inteiro ao lado dela, vou ficar de plantão aqui ao lado esta noite, então por favor vão todos pra casa e descansem, certo?
- Mas, quero estar aqui quando ela acordar, disse Bruno. - Venha meu filho, disse dna Maria Clara, dr. Eduardo está corretíssimo, você tem que estar bem para cuidar dela. E todos foram pra casa. Como dr. Eduardo sabia que Bruno não iria conseguir descansar, deu um calmante para sua mãe dar a ele. E assim que chegaram, Nona que estava com eles, disse que iria fazer algo para eles comerem, e dna maria Clara disse que não, disse que ela ligasse para algum lugar para que trouxessem alguma comida para eles comerem, mandou Bruno tomar banho enquanto isso, e foi preparar um suco para dar o calmante a ele.

Continua...

Abraços e até mais...